Quatro técnicas para monetizar seu app

Um aplicativo não nasce por acaso. Ele deve ser pensado e desenvolvido para validar uma ideia, implementar uma nova funcionalidade ou solucionar problemas reais de seu negócio. Porém, um dos grandes desafios durante a execução do projeto é elaborar um plano que contemple a aquisição e retenção de usuários, oferecendo retorno financeiro para a sua empresa através da monetização do app.

Não importa a finalidade de seu aplicativo — agregar valor à marca ou oferecer serviços, por exemplo —, com download gratuito, ele pode se tornar uma fonte de renda essencial para a sua empresa. E são as estratégias nessa trajetória que vão separar a sua aplicação das outras milhares que não obtém sucesso no mercado.

Por isso, a Kobe elaborou uma lista com quatro técnicas para a monetização de apps sem cobrar pelo download. Confira a lista abaixo e compreenda como a estratégia correta pode transformar seu aplicativo em um grande sucesso financeiro.

#1: SUBSCRIPTION

Quem nunca assistiu a um filme na Netflix? Ou criou a sua playlist de músicas favoritas no Spotify? Essas duas plataformas são exemplos de um modelo subscription, ou seja, um mercado de assinaturas para comercialização de seu serviço. O principal diferencial da prática é obter uma receita recorrente e ter previsibilidade de faturamento.

Porém, essa estratégia é indicada para aplicativos que possuem um grande número de usuários. Vamos te explicar: o retorno financeiro só se torna atrativo quando o volume de assinaturas é grande o suficiente para gerar receitas e bons frutos para o seu negócio.

#2: FREEMIUM

Vamos exemplificar o que é o freemium com uma situação que você já deve ter passado! Imagine que você está jogando em seu celular e quando troca de fase no game, aparece uma proposta completamente atraente: pague mais alguns reais e torne seu personagem mais forte para a próxima fase. Comum, não?

O freemium é exatamente isso: um app com download gratuito que oferece ao mesmo tempo uma versão premium ou features inéditas para você adquirir. Ou seja, o usuário compra experiências exclusivas no app, gerando maior engajamento e conversão de usuários.

E não é só em games que você encontra essa estratégia. Existem diversas áreas em que se pode apostar na técnica e ter um bom retorno financeiro. Um exemplo são apps de controle financeiro, onde você entra de forma gratuita e recebe apenas funcionalidades básicas para organizar as suas contas mensais. Mas, caso você entenda que é necessário ter um controle maior de seus gastos, é possível ser assinante por um valor adicional, podendo realizar projeções para os meses seguintes e gerar relatórios a partir disso.

#3 ADS

Em 2016, a Juniper Research entregou um relatório indicando que, em 2018, os anúncios dentro de aplicativos seriam equivalente ou até maiores do que em navegadores desktop. E isso faz muito sentido, já que eles são muito mais funcionais do que sites que muitas vezes não são nem responsivos. Como os usuários migram para os apps, a publicidade também precisa marcar presença por lá.

Suas campanhas de ads podem ser desenvolvidas dentro de ferramentas que facilitam seu trabalho, como o Google Admob. Porém, para ter retorno financeiro e ganho de receita, é preciso que seu aplicativo contemple um grande número de usuários. Assim, o dinheiro investido nas propagandas gera retorno para seu negócio e parceiros anunciantes.

O desafio da prática é encontrar uma forma natural de disponibilizar esses anúncios, para que a experiência do usuário não seja afetada. Podemos citar games que inserem anúncios na troca de fase. O usuário entende que vai surgir um banner após o término da partida e (geralmente) não se incomoda com isso, já que sua prática durante o jogo não é afetada.

#4 APP COMO FERRAMENTA

O aplicativo como ferramenta surge para entregar valor ao usuário ao mesmo tempo que ajuda a impulsionar o seu negócio. Um exemplo é o Nubank: um banco digital pioneiro em serviços financeiros. Com um aplicativo de boa usabilidade que entrega tudo que o cliente precisa, ele acaba conectando pessoas, entregando uma experiência positiva para o seu cliente e automaticamente gerando receita para o sistema bancário.

Uber e iFood são outros exemplos que ganham pelo serviço que é oferecido. Ou seja, essa estratégia gera rentabilidade para o negócio, pois além de serviços, entrega valor agregado a partir de uma ferramenta tecnológica. O único porém é que talvez seja difícil mensurar o quanto você terá de retorno financeiro com essa opção. De qualquer forma, é preciso de uma análise em conjunto para definir a melhor estratégia para a sua empresa.

CONSIDERAÇÕES FINAIS DA KOBE

Agora que você conhece as quatro principais técnicas de monetização de apps com download gratuito, te deixamos uma última dica. Encontre uma software house que participe a fundo de seu projeto. Essa parceria facilitará para que você compreenda o mercado e contexto em que seu negócio está inserido e quais são as estratégias ideias para monetizar o seu aplicativo. Afinal, um ecossistema de trocas de expertises pode potencializar as chances de seu app ser um sucesso financeiro.

Leave a Reply